Segue a gente

  • Instagram
  • YouTube
  • Facebook ícone social

Posts recentes

Tags

Arquivo

Sonha em conhecer o Cedar Point? Leia esse relato com dicas para realizar o sonho de todo parqueiro!



Acredito que todo parqueiro sonhe em conhecer a capital das montanhas russas, o parque com maior número de atrações do mundo (vide o 3º episódio do Turbo Drops), vulgo Cedar Point.

O Cedar Point fica em Sandusky, uma cidade em Ohio – EUA, à beira de um imenso lago que faz fronteira com o Canadá. O Canadá era o meu destino, no caso a cidade de Toronto, lar de um outro imenso parque da rede Cedar Fair, o Canada’s Wonderland.



Meses antes da viagem

Eu passaria um mês estudando inglês em Toronto e como bom parqueiro que se preze, logo tratei de pesquisar os parques que seriam possíveis visitar aproveitando a viagem, mas sem interferir nas minhas aulas. Eu já tinha o visto americano, o que me ajudaria também com algum parque americano que eu decidisse incluir no roteiro. Eu teria 4 finais de semana livres para isso. Ainda faltavam uns 10 meses para a viagem, mas como toda pessoa com um orçamento apertado já estava em cima para planejar os lugares a visitar. Óbvio que o Canada’s Wonderland já estava nos meus planos e como eu estaria ali “do lado” já queria um season pass. Pesquisando descobri um season pass (uma espécie de ingresso anual, que vale para toda a temporada daquele ano) que valeria para toda a rede Cedar Fair, meus neurônios logo se animaram e fui checar a distância entre Toronto e Sandusky: cerca de 600 km. Pensei, “OK, é a distância da minha casa até o Beto Carrero e já cansei de fazer esse trajeto dirigindo o caminho todo”. Então conversando com um amigo – o Valdir – que também faria uma viagem por alguns parques dos EUA, conversei com ele e nossas datas coincidiam. Ele já estava com tudo pronto para sua viagem e não havia mais vagas no mesmo hotel, então reservei um outro hotel próximo, mas para as mesmas datas. Um outro amigo nosso que mora nos EUA topou nos encontrar para fazer essa visita, assim como um amigo meu que mora em Toronto e iria então dividir comigo as despesas do aluguel do carro, combustível, pedágio e o volante, até porque por mais experiente que eu seja como motorista, viajar entre dois países com leis distintas da nossa me assustava um pouco, além do fato de ir numa sexta após minhas aulas e voltar num domingo após um dia inteiro de parque.

Comprei meu season pass platinum através do site do Canada’s Wonderland, que seria o primeiro parque a visitar e onde eu ativaria o ingresso para poder usar nos demais parques da rede, entre eles, o Cedar Point. O legal é que no Canadá foi possível comprar ainda aqui do Brasil o season pass com um parcelamento bem similar ao nosso aqui no Brasil, o que fez o custo pesar menos naquele momento.


Season Pass Platinum da rede Cedar Fair

Os meses passaram, hotel estava reservado, carro locado e ingressos “em mãos”.


Dias antes

Cheguei no Canadá e meu primeiro final de semana seria o da viagem ao Cedar Point, porém tive uma surpresa nada agradável de última hora que quase me fez desistir de ir: meu amigo que iria comigo do Canadá até Sandusky não poderia mais ir. Fiquei em pânico em pensar em todo o trajeto sozinho por dois países. Mas com o incentivo dele, que mesmo não indo me ajudou financeiramente com a parte que lhe caberia e com o pensamento se um dia eu teria novamente essa oportunidade, decidi enfrentar o medo e fui.

Nos primeiros dias de aula, fiquei sabendo que não teria problema faltar um dia no College, então ao invés de voltar sozinho e cansado no domingo à noite, pós parque, decidi que voltaria na segunda de manhã, o que me tranquilizou um pouco. Um dia antes de viajar para os EUA, passei no Canada’s Wonderland para ativar meu season pass e óbvio que aproveitei para curtir um pouco o parque, mas aí já é outra história.



Sexta-feira, 16 de agosto de 2019, já fui para a aula com minha mala e de lá direto para o shopping onde retiraria o carro. O carro demorou mais do que eu esperava para ser liberado e quando consegui iniciar minha viagem já eram 18h. Meu telefone celular estava com um chip local e internet para o GPS funcionando perfeitamente. Depois de 3h rodando, vi que não saía do território canadense, então me dei conta que o GPS me enviou para o lado contrário que eu havia planejado ir. A distância era a mesma, a diferença seria contornar o lago Eire pelo lado norte (Canadá) ou sul (EUA). Fiz algumas paradas, bebi muita água para aguentar o cansaço, já que a estrada era uma reta só até a imigração nos EUA em Detroit, onde cheguei 0h do dia 17. Sim, a viagem estava levando mais tempo do que eu esperava mesmo sentando o pé.

Na imigração, foram feitas as perguntas de praxe numa cabine similar à de um pedágio e então fui encaminhado para uma salinha. Me senti em um episódio de “Barrados na fronteira”, com agentes carrancudos, que me encheram de perguntas de novo e após eu pagar US$ 6,00 pelo visto, me permitiram seguir viagem. Como eu havia colocado o GPS para evitar pedágios, fui direcionado para estradas de mão dupla, no meio do nada, com casas bem distantes umas das outras e com celeiros. Me senti em um filme de terror e só conseguia pensar “Se o carro quebrar aqui tô ferrado”. Por sorte o trecho até Sandusky desde Detroit era só cerca de 01h30m e enfim cheguei no hotel exausto, louco por um banho e cama, já que após poucas horas de sono já iríamos para o parque. Nosso amigo de Las Vegas – o Anderson – chegou de avião através do aeroporto de Cleveland que é o aeroporto mais próximo do parque (cerda de 71km de Sandusky).



Finalmente chegou o dia!

Eu e o Anderson encontramos o Valdir (que dias antes tinha visitado o King’s Island, outro parque da rede) no hotel dele que ficava em nosso caminho para o parque, paramos para um café da manhã no McDonald’s pouco antes do pórtico de entrada do Cedar Point. Nossos olhos brilhavam, era um sonho para nós 3 estar ali. A GateKeeper passando sobre nossas cabeças e lá fomos nós. Era mais um sonho que se mostrava possível.



O parque era tudo e mais um pouco do que esperávamos. Montanhas-russas, shows, rides... e em dois dias nós conseguimos tranquilamente visitar o parque inteiro, mesmo sendo alta temporada. Voltei na segunda-feira de manhã em uma viagem bem mais tranquila e por volta das 14h eu já estava de volta em Toronto. Meu intercâmbio estava no começo, mas eu já tinha memórias que guardaria para o resto da vida.

Foram vários tipos de montanhas-russas que nunca tínhamos experimentado e a Steel Vengeance se tornou a montanha-russa favorita de nós 3. Que híbrida, minha gente...



Maverick e SkyHawk foram outras gratas surpresas que se tornaram nossas queridinhas!



Algumas dicas

Mas como o foco aqui foi mostrar como é possível com um pouco de economia e perseverança é possível visitar o parque dos sonhos, uma outra hora contamos mais do parque para vocês.

Abaixo está um resumão para o planejamento de visita ao Cedar Point:


  • É necessário ter passaporte e visto americano válidos;

  • O aeroporto mais próximo é o de Cleveland (CLE), Ohio;

  • Sempre verifique o calendário do parque, pois diferente dos parques do Brasil, ele não abre o ano todo. Geralmente opera do meio da primavera ao início do outono americano (abril a novembro mais ou menos);

  • Há muitos hotéis próximos ao parque, inclusive alguns do próprio parque. Pesquise quais são as melhores opções para você;

  • Parques próximos do Cedar Point:

  • King’s Island (cerca de 3h30m de viagem de carro); aeroporto mais próximo: Cincinatti (CVG);

  • Six Flags Great America (cerca de 5h de viagem de carro); aeroporto mais próximo: Chicago (ORD);

  • Sempre verifique a melhor opção de season pass para sua necessidade. No meu caso, como eu visitaria o Canada’s Wonderland durante todo o mês, compensou comprar o season pass platinum, que além de liberar entrada em todos os parques da rede também isentava pagamento de estacionamento e dava 10% de desconto em todos os produtos dentro dos parques.

Nessa mesma viagem eu ainda conheci, além do Cedar Point e do Canada’s Wonderland, o La Ronde, que fica em Montreal e é operado pela rede Six Flags; o Six Flags Great Adventure, lar da KingdaKa, a montanha russa mais alta do mundo, e que fica em New Jersey, bem próximo de New York. E pra finalizar os parques de Orlando, numa corrida entre 5 parques em apenas 3 dias.

Quer saber mais dessa mega viagem? Curta nossas páginas no Facebook e Instagram e fique ligado aqui no nosso site!

Esperamos que tenham curtido.

IG: @alexbalthazar85

Cedar Point nos Destaques: clique aqui